17.3.21

Processadores


O que é um processador

Vamos começar pelo básico, o processador é a unidade central de processamento de um computador (CPU), ele funciona como o cérebro do computador, pois interage e faz as conexões necessárias entre todos os programas instalados. Neste processo, ele também interpreta as informações enviadas pelos programas, realiza diversas operações, inclusive gerando a interface que nós interagimos quando usamos um computador.

Os processadores são colocados na Placa-Mãe de um computador, através de soquetes e sua estrutura é composta por bilhões de transistores.

Os soquetes são entradas que as placas-mãe possuem para instalação dos processadores. Existem diversos tipos, cada um deles é específico para cada fabricante ou modelo da unidade de processamento que será instalada. Confira abaixo os padrões mais utilizados atualmente e suas respectivas famílias de chips.

 

 

Tipo de Soquete

Compatível com processadores

Fabricante dos processadores

 LGA755/T

Intel Celeron
Intel Core 2 Duo / Extreme / Quad
Intel Pentium 4 / D / Dual Core / Extreme
Intel Xeon

Intel

939

AMD Athlon 64 / FX / X2
AMD Dual-core Opteron
AMD Sempron

AMD

LGA1150/H3
LGA1155/H2
LGA1156/H1

Intel Core i3/ i5 / i7
Intel Pentium Dual-core
Intel Xeon

Intel

 LGA1366/ B

Intel Core i7 / i7 Extreme Edition
Intel Xeon

Intel

 AM2 / AM2+

AMD Athlon 64 / FX / X2
AMD Sempron
AMD Phenom
AMD Phenom II X4

AMD

 AM3

AMD Athlon II
AMD Phenom II X2 / X3 / X4 / X6
AMD Sempron / Sempron X2

AMD

 FM1

AMD Dual-Core A4 3300 / 3400

AMD

 FM1 uPGA

AMD Dual-Core A4 3300 / 3400
AMD Triple-Core A6 3500
AMD Quad-core A6 3650 / 3650K Black Edition
AMD Quad-core A8 3850 / 3870K Black Edition

AMD

FM2

AMD Dual-Core A4 4000 / 5300 / 6300
AMD Dual-Core A6 5400K
AMD Quad-Core A8 5500 / 5600K / 6500 / 6600K
AMD Quad-Core A10 5700 / 6700 / 5800K / 6790K / 6800K

AMD

 

Antes de comprar um novo processador, o usuário deve verificar qual é o soquete existente em sua placa-mãe. Afinal, comprar um modelo incompatível com a sua placa mãe pode não só causar transtornos como também dar defeito no equipamento. Para conferir essa informação, consulte o site da fabricante da sua placa-mãe ou faça o download do programa CPU-Z.

Muitas das lentidões de maquinas são causadas pela aquisição errônea de um processador, por exemplo, compra se um processador básico como um Celeron (o que dá e muito uma barateada no preço do equipamento), que suporta um certo número de programas básicos como por exemplo office 2000, no entanto o usuário mal informado pode começar a utilizar softwares mais “pesados” para edição de vídeos, áudio, games, etc, que demandam mais processamento. Resultado: lentidões constantes e travamentos. O que acarreta na irritação do usuário, que não conseguira de forma alguma ter um bom rendimento de uso em sua máquina.

Obviamente o Processador não será o único vilão desta história, pois ele somado a quantidade de memória instalada, mais o HD (disco rígido), se forem também de quantidades reduzidas, o cenário fica ainda mais catastrófico

O que orientamos sempre é que se busque uma máquina de acordo com o uso que será feito dela, ou seja, se precisará trabalhar com ela diariamente busque um processador topo de linha, com o máximo de memória disponível e um disco rígido que suporte um número considerável de arquivos. Para um tempo de vida útil de uns 5 anos. Pois assim você terá uma folga para fazer diversas atualizações, tanto de sistema operacional (Windows), como de outros programas diversos.

Núcleos

Em tempos mais antigos, processadores contavam apenas com um núcleo, contudo, atualmente um processador pode ter vários núcleos para conseguir trabalhar melhor com uma grande variedade de informações recebidas simultaneamente. Por essa razão vemos nomenclaturas como “Dual-Core” (2 núcleos), Quad-core (4 núcleos), podendo chegar em até 32 núcleos nos computadores de alta performance.

Dessa forma, um computador consegue executar várias tarefas de uma vez, por isso você consegue abrir um texto em programa, enquanto escuta música em outro e navega na internet. Isso para não citar as tarefas menores que são executadas e nós não vemos.

O conceito do processador pode ser aplicado também nos vídeo games modernos, que processam não apenas os games que você está jogando, mas também as interfaces de menus dos consoles, aplicativos de streaming e outros recursos disponíveis. O mesmo pode ser dito sobre processadores de nossos smartphones que nos permitem realizar diversas tarefas ao mesmo tempo.

Um processador é uma espécie de microchip especializado. A sua função é acelerar, endereçar, resolver ou preparar dados, dependendo da aplicação. Basicamente, um processador é uma poderosa máquina de calcular: Ela recebe um determinado volume de dados, orientados em padrão binário 0 e 1 e tem a função de responder a esse volume, processando a informação com base em instruções armazenadas em sua memória interna.


O que é ULA?

ULA é a sigla para Unidade Lógica Aritmética. Trata-se do circuito que se encarrega de realizar as operações matemáticas requisitadas por um determinado programa.

Processadores atuais possuem outra unidade para cálculos, conhecida como Unidade de Ponto Flutuante. Essa, por sua vez, serve para trabalhar com números enormes, de 64, 128 bits, por exemplo.


Unidade de Controle

O termo “cérebro eletrônico” está longe de classificar e resumir o funcionamento de um processador. No entanto, a Unidade de Controle é o que há de mais próximo a um cérebro dentro do processador. Esse controlador define o regime de funcionamento e da ordem às diversas tarefas do processador.


Entenda o Cache

Entenda como o espaço onde as instruções podem ser armazenadas dentro do processador funciona: Dado o volume de trabalho que a CPU enfrenta, neste espaço são alocadas informações constantemente requisitadas.

Isso é feito como forma de ganhar tempo: armazenadas no processador, esses dados estão rapidamente acessíveis e não é necessário executar uma varredura em disco ou na RAM para buscar as informações.


Registradores

Os registradores são a memória do processador. Você já entendeu que este microchip altamente especializado recebe dados e os processa, num regime de entrada e saída de informação que faz com que o computador, o tablet, o videogame, o GPS, a TV, enfim, todo equipamento eletrônico funcione.

Para "saber" o que fazer com os dados, contudo, o processador precisa de instruções. É isso que está armazenado neste tipo de memória chamada de Registrador: diversas regras que orientam a ULA a calcular e dar sentido aos dados que recebe.


Memory Management Unit (MMU)

O Memory Management Unit (MMU) é o responsável pela coordenação do funcionamento da memória. O processador só pode ser rápido se a memória RAM acompanhar. O MMU é o recurso que transforma as instruções lógicas (virtuais) em endereços físicos nos bancos de memória.

O processador varre a memória atrás de dados e instruções e o MMU é o recurso que anota onde cada informação do sistema está hospedada na memória. É ele que diz onde o processador deve procurar.


Importância do Clock

Ter mais ou menos Hertz significa o quanto o processador troca dados com o sistema. O processador que oferece 2.0 GHz pode realizar 2 bilhões de ciclos por segundo.

O circuito clock, que mede os ciclos e orienta o ritmo do fluxo de troca de informações no processador, é um dos principais critérios para estabelecer a velocidade do processador. Vale ressaltar, no entanto, que outros pontos entram nesta conta, como interface de memória, quantidade de cache, arquitetura, entre outros.


Aplicações

Existem vários tipos de processadores e cada tipo de aplicação requer um determinado tipo de processador. É o caso dos nossos computadores, que usam os x86.

Dispositivos compactos e com menos tipos de aplicações usam diferentes tipos de processadores. O celular, independentemente do nível de sofisticação, usa um processador SoC (sigla para System on a Chip: sistema em um chip). Isso significa que o processador em questão agrega diversos outros recursos, como chip de rádio, conectividade, processador gráfico e outros.

Os processadores da linha Opteron oferecem uma performance até 84% maior e uma largura de banda 73% melhor, se comparados com o processador Intel Xeon X5670, lançado em 2010. (Foto: Divulgação)

Basicamente, qualquer chip que controle algum hardware é um processador. Ele recebe dados, endereça-os e os devolve processados. Uma placa de rede, um adaptador Bluetooth e mesmo um pen drive possuem controladores.


GPUs e paralelismo

Isso explica porque os mais recentes supercomputadores são construídos adotando clusters de GPUs.

Embora não sejam páreo no processamento lógico das CPUs, os processadores gráficos são ideais para um grande volume de dados.


Tipos de processadores

Nesse sentido, os processadores apresentam diversos modelos e especificações, que variam de acordo com a quantidade de núcleos, capacidade de processamento, frequência e suporte ao overclock, segue abaixo a classificação desses componentes de acordo com os critérios supracitados.

Single-core ou multi-core: esta característica indica a quantidade de núcleos de processamento que um processador pode ter, ele varia de apenas 01 núcleo até mais de 32 núcleos. Quanto maior o número de cores, maior é a capacidade de processar tarefas ao mesmo tempo e acelerar as aplicações da sua workstation.

Arquitetura 32 ou 64 bits: essa característica remete à capacidade de processamento de informações que um processador pode ter. Apenas com chips de arquitetura 64 bits é possível que o computador aproveite quantidades superiores a 3GB de memória RAM, além de processarem blocos maiores de dados de maneira ágil.

Compatibilidade com overclock: esta é uma técnica utilizada para aumentar a velocidade nominal do processador e conceder um desempenho além do normal ao usuário. Processadores que possuem esta capacidade são identificados como “Unlocked”, no caso de Intel, ou “Black Edition”, para AMD.

É preciso estar ciente que a exigência excessiva de processamento dos chips pode fazer com que esses componentes se desgastem mais rápido, além de obrigar o usuário a equipar a máquina com sistemas de resfriamentos mais eficientes para evitar um superaquecimento dos dispositivos.


Características dos processadores Intel

A Intel é muito popular e está no mercado como principal marca de processadores há um bom tempo. Isso é justificado pela sua adequação a diversas opções de placa mãe. Nesse sentido, torna-se mais viável adotar as versões mais simples e baratas desses tipos de processadores, pois, comumente, servirão para oferecer o desempenho esperado.

Quando o usuário tem a necessidade de obter mais performance, há modelos específicos, que são mais caros para suprir a demanda. Nesse sentido, ter o preço como principal aspecto levado em conta na hora da escolha pode ser um erro, pois nem sempre o mais caro irá corresponder na melhor entrega.

Reduzir custos, sempre que possível, é excelente. No entanto, muitas vezes, sacrificar o desempenho operacional do seu principal instrumento de trabalho, pode gerar perdas bem maiores.

Para saber qual é o melhor para você, é necessário conhecer as “famílias” de processadores da Intel:

· Intel Core;

· Intel Pentium;

· Intel Celeron;

· Intel Xeon;

· Intel Xeon Phi;

· Intel Itanium;

· Intel Atom;

· Intel Quark SoC.


Dessas linhas, as que mais se destacam são a Core e a Xeon, as quais vamos detalhar nos próximos parágrafos.


Linha Core

i3

Processador desenvolvido para as tarefas do dia a dia, tal como acessar a Internet, escrever um documento em um editor de texto, assistir a um filme etc. Tem o melhor custo-benefício de todos os processadores desta família. Seu uso está focado principalmente em notebooks de modo que a economia de bateria é essencial, mas também é utilizado em desktops de uso familiar.

Seus processadores geralmente contêm 4 núcleos. O diferencial do I3 é que ele utiliza a tecnologia de threads, chamada de hyperthreading, que simula, em cada núcleo, 2 threads diferentes. Isso faz o computador achar que o processador tem o dobro de núcleos, aumentando bastante o seu desempenho quando comparado a outros processadores similares.


i5

É utilizado tanto em computadores residenciais quanto em comerciais. O I5 é conhecido como um processador de alto desempenho, capaz de lidar com jogos modernos e alguns programas de edição pesados.

Seus modelos podem vir em duas configurações diferentes: 2 núcleos com hyperthreading ou 4 núcleos sem hyperthreading. No entanto, seu grande diferencial para os modelos I3 é a tecnologia Turboboost que possibilita que o processador trabalhe em uma maior frequência.

Existem hoje 17 versões de Cores I5 para notebooks e desktops.


i7

É considerado o modelo mais potente da família Core, sendo amplamente usado para rodar jogos de última geração e softwares de produção de conteúdo, projetos e edição de imagens. Seu foco é a alta velocidade e o desempenho máximo. Ao contrário dos demais, o I7 apresenta uma variedade de configurações, partindo de 6 núcleos até incríveis 10.

Todas as versões do I7 apresentam as tecnologias de hyperthreading e TurboBoost disponibilizadas nos modelos anteriores. Além disso, o grande diferencial desse processador é contar com uma quantidade maior de cache L3, a cache de uso comum dos núcleos, o que aumenta muito a capacidade de processamento deste modelo.

Existem hoje 13 versões de Cores I7 para notebooks e desktops disponíveis no mercado.


i9

A série I9 é focada em produzir os processadores para workstations mais poderosos da Intel. Esse processador é voltado para profissionais de áreas como a engenharia e arquitetura que necessitam de desempenho e qualidade em seus projetos. Assim como, para editores de vídeo e imagens, também para pesquisadores da área, que usam o processador para fazer overclock e quebrar recordes de velocidade e para um público entusiasta que gosta de jogar games de última geração em 4K.

Essa linha contém de 10 até 18 núcleos e 36 threads. Além disso, eles funcionarão em um chipset, com suporte para SSD NVMe , três SSDs M.2, dez SATAs e portas de rede 10Gbps, garantindo a última geração em todos os outros componentes que acompanham o processador.


Processadores Intel 10ª geração

Os novos processadores Intel Cor da 10ª Geração contam com atualizações de desempenho incríveis para melhorar a produtividade do equipamento e proporcionar um desemprenho surpreendente, incluindo até 5,3 GHz, Intel Wi-Fi 6 (Gig+), tecnologia Thunderbolt 3, HDR 4K, otimização de sistema inteligente e muito mais.


Linha Xeon

Xeon E3

Os processadores Xeon E3 priorizam o desempenho de recursos visuais e adequam-se às necessidades de uso profissional. Além disso, atuam com até 4 núcleos. Possuem também uma dissipação térmica superior (ou seja, não super aquecem), uma estabilidade melhorada e suporte à memória ECC.


Xeon Scalable

Os modelos Scalable fazem parte do grupo com maior adequação para demandas alinhadas ao processamento gráfico, como renderização e simulação. Oferecem até 28 núcleos por processador e permitem a utilização de mais de um simultaneamente, com a possibilidade de utilizar até 8 processadores físicos em um único computador.

O grande diferencial desta linha está relacionado às novas tecnologias introduzidas como o Intel VMD e Intel VROC. O VMD fornece gerenciamento ininterrupto do armazenamento PCI Express, enquanto o VROC fornece um software de gerenciamento de RAID utilizando a PCI Express.


Características dos processadores AMD

A AMD (Advanced Micro Devices) é uma empresa estadunidense fabricante de circuitos integrados, especializada em processadores. Seus produtos concorrem diretamente com os processadores fabricados pela Intel.

Com menor custo, sem comprometer tanto o desempenho. A AMD é bastante conhecida pela grande participação mundial no mercado de processadores, sempre liderando este ramo juntamente com a Intel.

Para que seja possível aproveitar todo o potencial dos diversos hardwares disponíveis no mercado, a AMD possui vários tipos de processadores distintos, cada um se adaptando de melhor forma à um tipo de máquina específica.

No entanto, como já sinalizamos, essa decisão precisa ser criteriosa para que o barato não saia caro. Além do mais, a AMD está investindo pesado em modelos com maior número de núcleos, elevando o desempenho operacional.

A AMD produz, atualmente, 6 categorias de diferentes tipos de processadores:

· AMD Ryzen;

· AMD Ryzen com vídeo integrado Radeon Vega;

· AMD Ryzen PRO;

· AMD Ryzen Threadripper

· AMD A-Series

· AMD FX;

· AMD A-Series PRO


Processadores AMD Ryzen

Destacam-se pelo desempenho superior. Além disso, vindo com até 16 núcleos no caso dos threadripper’s e atendem a diferentes demandas, sendo considerados modelos “megatarefas”. Dividem-se entre Ryzen 3,5 e 7, sendo que cada um terá um uso específico, assim como, a linha Core da Intel.


Processadores AMD A-Series

São modelos mais de entrada, com uma performance um pouco mais baixa, porém com um excelente custo benefício, muito utilizado em notebooks por ter um baixo consumo energético.


Processadores AMD Ryzen Pro

Iguais aos processadores Ryzen convencionais, porém com a possibilidade de utilização de memória RAM ECC e com um foco mais para a durabilidade e estabilidade.


Processadores AMD FX

Também se destacam pela quantidade de núcleos e têm um apelo forte como processadores direcionados para games. Ademais, oferecem modelos com 4, 6 e 8 núcleos.


Não recomendamos a utilização dos modelos FX por serem de uma geração já datada e por serem conhecidos por sofrerem de problemas de super aquecimento. Além disso, todos os processadores da linha AMD FX são totalmente desbloqueados para facilitar o overclock. A AMD parece ter avançado bastante nesse tipo de tecnologia.


Processadores AMD Phenom II X6

Todos os modelos da série Phenom X6 II se baseiam no núcleo “Thuban”, possuindo tecnologia de 45nm baseados em socket AM3, se utilizam de uma tecnologia similar à Turbo Boost da Intel, quando o processador percebe que três ou mais núcleos estão ociosos, ele aumenta o clock dos núcleos ativos.

Por exemplo, no modelo Phenom II X6 1055T o clock é aumentado de 2,8 GHz a 3,2 GHz, enquanto que no Phenom II X6 1090T o clock é aumentado de 3,2 GHz a 3,6 GHz. Chegando a ter média de experiência do usuário no Windows 7, entre 7,5 e 7,9 se torna também uma boa opção para centrais multimídias, que geralmente são usadas na execução de filmes em alta definição, edição de vídeo, de imagem, e gerenciamento de mídia em geral, realmente é incrível o poder de processamento deste poderoso processador, aparentemente nada pode com ele, o tornando assim imbatível e com um preço tentador.


Comparações entre Intel e AMD

Foi possível notar que as propostas de processadores são distintas. Inclusive, dentro de uma mesma marca, há opções variadas para você escolher. Alguns pontos, no entanto, devem ser destacados.

Os processadores Intel valem a pena quando:

· Há necessidade de desempenho superior.

· Quando se busca uma maior estabilidade e durabilidade.

· Serão utilizados programas mais pesados, sem perder eficiência.


Os processadores AMD valem a pena quando:

· A intenção é encontrar um processador com bom custo-benefício;

· Não serão aplicados na execução de programas por prazos longos, como no caso de renderizações prolongadas.

Ao decidir, é importante compreender bem quais são as demandas do usuário e dos softwares a serem utilizados no computador. As configurações da máquina, portanto, precisam ser verificadas no todo.

Só assim, é possível entender de que forma o processador pode contribuir para melhorar o desempenho. Ou, pelo contrário, em quais condições o processador passa de solução ao problema.

Muitas vezes, usuários e empresas adotam uma solução padrão que, na análise geral, apresenta excelentes vantagens. No entanto, há uma grande diferença entre atividades analíticas e gráficas.



14.1.21

Os riscos de ter tudo no celular

 


            Os celulares se tornaram a maior é uma das melhores ferramentas já existentes. Com eles nas mãos podemos fazer a maior parte das tarefas, as quais antigamente só podíamos fazer pessoalmente, por um telefone fixo ou até mesmo um computador ou notebook.

            Hoje em dia podemos fazer uma infinidade de coisas de qualquer lugar onde se consiga um sinal razoável, de dentro de nossas casas, em um transporte coletivo, etc.

            No entanto muitas pessoas dão muita confiabilidade a seus aparelhos negligenciando que como qualquer equipamento eles podem falhar em qualquer momento, as vezes sem prévio aviso e na hora em que mais necessitamos deles.

            Nesse momento iremos descobrir que todas as fotos de um grande período estavam neste celular, fotos profissionais, fotos pessoais. Além é claro de todos os seus contatos. Ah sim! E você também se recordará com desespero que continham em seu aparelho diversos documentos importantes. Quanto mais você for analisando, maior será o pânico que irá lhe tomando. Sim, sim todas as suas conversas importantes estavam bem ali no seu aplicativo.

            Mais para sua felicidade isso ainda é apenas um pesadelo, há tempo de contornar essa situação hipotética fazendo seus devidos backups. Muitos aplicativos já constam estas ferramentas, tais como o google e o whatsapp, muitos modelos de celulares tem seus próprios programas de backup, tais como o Samsung Kies, que você instala em um computador, conecta seu celular pela porta USB e faz todo backup necessário para a máquina

            Existem também muitos executivos que são aficionados por segurança que mantem um celular de uso e um espelhado como backup, assim tem uma boa contingência de emergência

            Seja lá qual for o seu cenário a dica é: FAÇA BACKUP

            E faça regularmente de acordo com sua usabilidade, seja mensal ou semanal. O importante é não ser pego desprevenido

            Nos links abaixo estão alguns tutoriais antigos, que no entanto ainda são bem úteis ainda:

https://lookinfo.blogspot.com/2017/01/manutencao-de-celulares-cuidados-com-o.html

https://lookinfo.blogspot.com/2017/03/manutencao-de-celulares-cuidados-com-o.html

 

            Agora vamos falar de outros riscos os quais você pode correr e muitas vezes não se dá conta

            Um dos principais problemas ao perder um celular é deixar que outra pessoa, ou mesmo um ladrão, tenha acesso a todas as suas informações que podem ser acessadas pelo smartphone.

            Por isso, é fundamental tomar alguns cuidados na hora de colocar informações no seu smartphone, afinal de contas, você nunca sabe quando poderá perdê-lo ou acabar sendo roubado por aí.

            Bloqueie a tela do seu celular:

            Esse é um dos métodos mais comuns para inibir a tentativa de outros de utilizarem seu smartphone. O bloqueio da tela inicial do celular é um obstáculo logo de cara que qualquer ladrão terá de enfrentar sem antes ter tido acesso a qualquer informação contida no aparelho. O recurso é bem fácil de configurar, onde o usuário pode escolher por uma senha deslizante, numérica ou um código PIN, alguns modelos modernos fazem a leitura da digital.

            Faça uso de recursos remotos

            Recursos remotos ainda são desconhecidos por boa parte dos usuários. Porém, eles são muito úteis na hora de encontrar um smartphone perdido. Por meio dele é possível que o dono saiba onde o seu aparelho está caso o tenha perdido, esquecido em algum lugar ou tenha sido roubado e quer saber exatamente onde encontrá-lo.

            Se você é usuário Android saiba que os aparelhos possuem suporte a um mecanismo de consulta por meio de sua própria conta Google. Este serviço denominado de Gerenciador de Dispositivo Android é capaz de revelar a localização de seu aparelho dentro de um mapa, além de apagar os dados existentes no smartphone e possibilitar o bloqueio do aparelho remotamente. Para isto, basta acessar o aplicativo Configurações do Google e ir para a opção Gerenciador de Dispositivo Android para ativar as opções. Vale lembrar que se você costuma desabilitar o serviço de GPS do seu aparelho com a finalidade de poupar bateria ou de não ser encontrado por alguém, você não poderá descobrir onde seu smartphone está caso o acabe perdendo.

            Realize backup de seus arquivos

            Este também é um dos métodos bastante utilizados por vários usuários. Fazer backup de seus arquivos é uma ótima ferramenta não somente para garantir a segurança de suas informações e arquivos caso você tenha um problema técnico com seu dispositivo , mas também para se livrar de problemas maiores caso você seja roubado ou perca o seu aparelho.

            O Google fornece em seus aparelhos Android a proteção de todos os dados contidos nos aplicativos, assim como senhas de rede Wi-Fi, preferências do celular e outras informações. Para ativar essa proteção, basta ir até a seção Backup e Restauração em Configurações. Desse modo, tudo ficará guardado na nuvem caso você precise recuperá-los posteriormente. Similarmente, a Apple oferece opções de backup para seus usuários. Na seção Armazenamento e Backup, nas configurações da página do iCloud.

            Fotos, músicas e vídeos, por exemplo, são arquivos que não devem ser esquecidos e protegidos contra pessoas mal-intencionadas. Por isso, o ideal é realizar o backup de todos esses conteúdos de mídia em aplicativos como o iCloud, Dropbox, OneDrive e Flickr. Tem dúvida em escolher um deles? Veja aqui o comparativo que criamos sobre os principais serviços de armazenamento na nuvem.

            Criptografe seus dados

            Todas as dicas que falamos até agora já garantem uma ótima segurança de seus dados e informações em seu smartphone ou outros dispositivos. Mas talvez nenhuma delas seja tão eficiente e protegerá seu aparelho da ousadia de outras pessoas quanto a criptografia de dados. Criptografar dados garante um nível adicional de segurança, inibindo até mesmo hackers de terem acesso às suas informações. Caso você tenha conteúdo de grande importância em seu dispositivo é recomendável utilizar essa dica a partir de agora.

            Entre as desvantagens da encriptação dos dados está o fato de que algumas operações do seu smartphone ficarem mais lentas, visto que todas as informações precisam ser decodificadas antes de serem acessadas.

            Configure seus aplicativos

            Os próprios aplicativos possuem algumas formas de evitar que qualquer pessoa possa postar conteúdo ou ter acesso a informações sem seu consentimento. O Facebook, um dos apps mais utilizados nos smartphones, disponibiliza a opção "Onde Você está Conectado", que pode ser acessado na seção Segurança dentro da página Configurações. Por meio desse recurso é possível que você visualize quem está conectado em sua conta e, caso deseje, desconectá-las.

            iPhone

            Os emails também podem ficar salvos caso você utilize o Gmail, por exemplo. Localizado no canto inferior direito da caixa de entrada, o link "Detalhes" também permite visualizar quem esteve conectado em sua conta e realizar o cancelamento de qualquer atividade suspeita.

            Vários outros aplicativos também possuem esse mesmo tipo de função, que pode ajudar você a descobrir quem está acessando suas contas e aplicativos indevidamente.

Fonte:

https://canaltech.com.br/seguranca/5-coisas-que-voce-pode-fazer-para-proteger-os-seus-dados-no-celular/

3.12.20

Divulgações Digitais


                1 – Google Business - número estimado acima de 2 Bilhões

                Como surgiu o Google Meu Negócio?

                O Google Meu Negócio, em inglês Google My Business, é o último estágio evolutivo de uma ferramenta que começou lá em 2004.

                Naquela época foi lançado o Google Local, uma espécie de mecanismo de busca apenas para empresas, mais ou menos como as antigas listas telefônicas.

                Em seguida evoluindo para um sistema revolucionário, o Google Maps, que ainda não apresentava os mesmos recursos de hoje, no mesmo ano, surgiu o Google Local Business Center, recurso que permitia aos administradores de negócios a inclusão nas listas do Google Local. Em 2009, nasceu o Google Place Pages, que reunia todas as informações possíveis sobre um local no mesmo lugar, isso incluía dados de contato, endereço, fotos e tudo mais que pode ser útil para os consumidores. Um ano mais tarde veio à tona o Hotpot, que considerava a opinião dos usuários para recomendar localidades.   Algum tempo depois, em 2011 surgiu o Google+ que encerrou suas atividades em 2019. A companhia tentou criar algo similar às Fanpages, as chamadas Google+ Pages para agregar os outros serviços do Google, o Google+ Your Business e o Google+ Brand Pages. Finalmente, em junho de 2014, foi criado o Google My Business, que substituiu as funções exercidas pelas demais ferramentas e colocou todas em um só local.

                Agora, todas as informações sobre um local (páginas de negócios, páginas sociais e geolocalização) se concentram em um só diretório.

 

                2 - Facebook - 2.701 bilhões de usuários

                Facebook ainda é a maior rede social virtual existente, lançada em 4 de fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc.. Em 4 de outubro de 2012, o Facebook atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos. Atualmente, é uma das formas mais utilizadas entre aqueles que acessam a internet, para se conectar com outras pessoas e também para realizar buscas rápidas de informações, além de funcionar como espécie de centralizador de contatos.

 

                3 - Whatsapp - 2 bilhões de usuários     

                O Whatsapp é citado frequentemente como um dos aplicativos mais baixados no país. O aplicativo já é a rede de mensagens mais utilizada ao redor do mundo. Com 1.5 bilhão de usuários espalhados por 180 países, ele já ultrapassou o Messenger do Facebook, a quem também pertence desde 2014, por cerca de 0.2 bilhão de downloads. O WhatsApp fica atrás apenas do Facebook quando considerados todos os aplicativos mobile utilizados mensalmente. Diariamente, 55 milhões de mensagens são enviadas, das quais 4.5 bilhões são arquivos de imagens e 1 bilhão são vídeos (Business Today, 2017). Além disso, 100 milhões de chamadas de voz são realizadas no mesmo espaço de tempo.

                Um estudo da Reuters, uma das principais agências de notícia do mundo, realizado em 30 países diferentes, também mostrou que o WhatsApp é bastante utilizado pela população como fonte de informação. No Brasil, a EBC apurou que 79% dos usuários do aplicativo no país têm o mesmo comportamento.

                Ainda que, mais uma vez, não sejam liberados dados concernentes à faixa etária dos usuários, o WhatsApp, assim como o Instagram, tem sido alvo do público mais velho: entre os boomers, o crescimento na rede foi de 44%.

 

                4 - Youtube - 2 bilhões de usuários

                O YouTube é uma plataforma de compartilhamento de vídeos. O serviço foi criado por três ex-funcionários do PayPal - Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim - em fevereiro de 2005. A Google comprou o site em novembro de 2006 por US$ 1,65 bilhão; desde então o YouTube funciona como uma das subsidiárias da Google. É considerado o segundo maior buscador da internet.

 

                5 - Instagram - 1.158 bilhão de usuários

                O Instagram foi lançado em 6 de outubro de 2010 e, naquele dia, tornou-se o principal aplicativo de compartilhamento de fotos gratuito, acumulando 25.000 usuários. Em um post no Quora, Systrom descreveu a velocidade notável com que o aplicativo se tornou popular; A história do Instagram.

 

                6 - Linkedin - 133 milhões de usuários

                O Linkedin é a rede mais usada no mundo corporativo, pois é focada em criar relacionamentos de empresas, executivos e colaboradores. É possível também anunciar vagas. Muitos colaboradores costumam ter perfis no Linkedin. Acima de tudo, ao incluirem que trabalham na sua empresa, podem lincar a página, proporcionando mais tráfego.

 

                7-Blogger - Milhões de usuários

                O Blogger teve sua última atualização anunciada silenciosamente em 20 de maio, a nova versão do Blogger leva elementos do Material Design ao publicador do Google e torna-o responsivo, o que permite o acesso ao site até mesmo pelo celular. A atualização também traz novas funções, como a possibilidade de ocultar o menu lateral.

                Entre as novidades estão a inclusão de operadores de pesquisa na ferramenta de busca de publicações do Blogger para filtrar os resultados. Além disso, os conteúdos agora são disponibilizados em cards, com miniaturas de imagens, marcadores e outras informações sobre o post.

                Já o editor ganhou suporte a tabelas e melhorias no envio de fotos e vídeos às publicações. As ferramentas de estatísticas, comentários, lista de leitura e as configurações do Blogger também receberam melhorias.

 

                As redes sociais vieram para ficar. Desde os finados ICQ, MSN e Orkut, ficamos reféns a elas. Podemos ainda ir mais fundo, e lembrar das salas de bate-papo do UOL. Sabemos que muitos jovens empreendedores nem devem saber o que são elas. Mas também não importa.

 

                Com as novas redes, que trouxeram funcionalidades inovadoras no quesito negócios, sua empresa não pode ficar de fora. Se você for uma PME ou MEI, sabemos que contratar um profissional apenas para produzir conteúdo e fazer gerenciamento da página pode ser inviável pelo custo.

 

                Por que estar nas redes sociais?

                Por vários motivos. Já ouviu aquele ditado: quem não é visto, não é lembrado? Dessa forma, mesmo se seu negócio for voltado para um público de faixa etária mais alta, pode sim já fazer sua conta. Entretanto, a cada ano, novos usuários surgem, independentemente da idade.

 

                Nas redes sociais, por meio da sua página, seus possíveis clientes podem entrar em contato com sua empresa. Seja por mensagens, seja acessando o link do site que fica disponível na biografia, junto com as informações principais.

 

                Além disso, nas redes sociais,  sua empresa pode:

·         Divulgar novos produtos e serviços para seus clientes;

·         Fazer tutoriais explicativos sobre seu modo de operação;

·         Responder dúvidas e fazer interação com os seguidores da página;

·         Gerar/criar um reconhecimento da sua marca.

 

                O Facebook, Instagram, Youtube e Linkedin são as redes mais populares no Brasil e oferecem gratuitamente perfis empresariais. Cada uma tem características diferentes e demandam conteúdo diferenciado, de acordo com o perfil do público, mas também da rede.

 

                Facebook: É a rede social mais popular e usada no Brasil. Além de textos e fotos, é possível divulgar links direcionados para outros sites, como o da empresa, por exemplo. Virou uma febre no Brasil e no mundo. Tem mais de 2 bilhões de usuários no mundo. Pense como você poderia vender ou negociar para toda essa gente?

 

                Instagram: conteúdo curto e objetivo. Foco dessa rede social é a imagem publicada. Por isso, capriche nela. Ah, não esqueça sempre de incluir o crédito da imagem, caso ela não seja da empresa. A internet não é mais um território sem lei. Existem regras de direitos autorais e Marco Civil da Internet que regula todo o tipo de conteúdo.

 

                Youtube: canal de vídeos que tem crescido muito no Brasil. Se sua empresa tem conteúdo suficiente e de boa qualidade, por que não investir nessa rede?

 

                TikTok: dependendo do seu negócio, o desafio para criar conteúdo para essa rede aparece. Essa nova onda cria vídeos rápidos, sem textos e já com áudios prontos aponta como nova queridinha dos mais jovens. O que nos resta a esperar até quando

 

Fontes:

https://fieldcontrol.com.br/blog/marketing/principais-redes-sociais-para-seu-negocio/

https://www.oficinadanet.com.br/post/16064-quais-sao-as-dez-maiores-redes-sociais

 www.lookline.net - www.centraldosnegocios.com

7.10.20

Comandos do DOS


                Os Comandos do DOS não morreram. E são muito úteis para tirar você de algum travamento em seu computador.

                Iremos descrever aqui seu funcionamento e algumas linhas de comando muito úteis

                O que é o prompt de comando?

                Em sistemas operacionais Windows, o prompt de comando (sinal de prontidão) é um programa que emula o campo de entrada em uma tela de interface de usuário baseada em texto com a interface gráfica do usuário (GUI) do Windows.

                Ele pode ser usado para executar comandos inseridos e realizar funções administrativas avançadas. O prompt pode ser também usado para solucionar certos tipos de problemas do Windows.

                O CMD (cmd = command) é incorporado ao sistema Windows, mas quase oculto no Windows 10. Isso não significa que a Microsoft tenha decidido esquecer essa ferramenta. Apesar disso, ainda mantém o mesmo poder que sempre teve, e está disponível para uso.

                Diferença do CMD e do MS-DOS

                Abreviação de Microsoft Disk Operating System, o MS-DOS é um sistema operacional de linha de comando não gráfico, derivado do 86-DOS, criado para computadores compatíveis com IBM. Hoje, o MS-DOS não é mais usado; no entanto, o shell de comando, mais conhecido como linha de comando do Windows, ainda é usado por muitos usuários.

                O MS-DOS originalmente escrito por Tim Paterson e lançado pela Microsoft em agosto de 1981, foi atualizado pela última vez em 1994, quando o MS-DOS 6.22 foi lançado. O MS-DOS permitia ao usuário navegar, abrir e manipular arquivos em seu computador a partir de uma linha de comando, em vez de uma GUI como o Windows.

                O prompt de comando do Windows é o intérprete de comando de todas as versões do Windows após 2000 (Windows 2000, XP, Server 2003, Vista, 7, 8, 8.1 e 10), e funciona como um programa dentro do sistema Windows. Nas versões anteriores (nos anos 90), como Windows 98, 95, 3.1, 3.11, etc, não havia um prompt de comando, pois, para iniciá-las, por não serem sistemas operacionais, o PC precisava primeiro operar o MS-DOS (command.com). O MS-DOS foi o software básico nos anos 90, e os comandos são os atuais no prompt de comando.

                Acessando o Prompt

·         Vá em Iniciar >> Executar  ou pressione a tecla do logotipo do Windows+R

·         Digite "cmd" (sem aspas) e tecle Enter.

·         Pronto!!!

 


                Navegando pelo DOS


                Comando para saber o recurso ou uso de determinado comando:

                nome /?

                ou apenas ?

 

                Para fechar o Prompt de Comando:

                Exit

 

                Prompt de Comando:

                C:\

 

                Subir um nível de pasta:

                C:\windows

 

                Subir mais um nível:

                C:\windows\system32

 

                Descer um nível:

                Cd..

 

                Descer até o nível raiz:

                Cd\

 

                Mudando de Diretório raiz, caso haja outra partição ou unidade de disco:

                C:\ E:

 

                Gerencia as partições de um disco:

                Diskpart

 

                Comandos para falhas de rede:

                netsh winsock reset (Reseta todas configurações de rede)

                ipconfig/flushdns (Efetua limpeza (apagar os endereços) da cache)

                net user "nome" /domain (Verificação de conta de user travada)

 

                Comandos para destravamento de impressora

                Net stop spooler

                Net start spooler

                Netsh winsock reset

                Após os processos reiniciar a maquina

 

                Systeminfo:

                Para saber mais detalhes sobre o seu Windows, basta rodar o comando "systeminfo" (sem aspas). Além de ser mais rápido para executar, seu grande diferencial é que ele traz mais informações do que a opção “Propriedades do Sistema”.

                Depois de ser executado, o comando faz uma pesquisa que demora em torno de 15 a 20 segundos dependendo do processador e memória de cada máquina. No resultado, você receberá uma série de informações sobre seu sistema, obtendo inclusive, a data em que ele foi instalado.


                Taskkill

                Como nem sempre você terá a chance de abrir o Gerenciador de Tarefas para poder fechar um aplicativo, uma boa saída é usar o comando "taskkill". Basta colocar alguns parâmetros e a identificação do programa a ser fechado, como no exemplo abaixo, onde o bloco de notas é fechado a força (/f) e é usado o nome dele em vez do identificado de processo PID (/im):

                exemplo: taskkill /f /im winword.exe

 

                CHKDSK:

                Comando para de verificação de erros no HD.

 

                SFC:

                Precisa verificar erros no seu Windows? O sfc faz isso sozinho. Tudo que você precisa fazer é digitar o comando como no exemplo abaixo, para começar uma varredura nos arquivos do sistema e localizar erros e itens corrompidos.

                exemplo: sfc /scannow

 

                Shutdown:

                Se você está precisando desligar o Windows e não tem acesso a interface gráfica ou o mouse, basta usar o comando "shutdown -s -t 0", que você consegue isso, e o melhor sem precisar instalar nada.

 

                Ipconfig:

                Tudo o que você gostaria de saber sobre sua conexão de rede está disponível em algum lugar no Painel de Controle do Windows. Mas essas informações são bem mais fáceis de encontrar, e estão mais bem melhor organizadas, nos resultados do comando "ipconfig". Digite  “ipconfig /all” (sem aspas) e rapidamente todas os dados, de todas as conexões de rede estarão na sua tela.

                exemplo: impconfig /all

 

                Defrag:

                O comando defrag é usado para desfragmentar uma unidade especificada. O comando defrag é a versão de linha de comando do Desfragmentador de disco da Microsoft.

 

                Fdisk:

                O comando fdisk é usado para criar, gerenciar e excluir partições de disco rígido.

 

                Mudando a cor do prompt temporariamente:

                A opção /t:fg executada no campo de pesquisa do menu iniciar ou pela função executar(WinKey+R) permite alterar as cores do prompt de comando temporariamente. Por exemplo, digite cmd /t:0A e a tela ficar com o fundo preto e as letras verde claro. O f representa a cor do fundo e o g a cor do texto, ao fecha e abrir ele novamente, mas dessa fez usando somente o comando cmd, o prompt de comando aparecerá original(texto cinza e  fundo preto).mudando a cor do prompt temporariamente

            Relação das cores a serem usada:

0 – preto

1 – Azul

2 – Verde

3 – Ciano

4 – Vermelho

5 – Roxo

6 – Amarelo

7 – Branco

8 – Cinza

9 – Azul claro

A – Verde claro

B – Ciano claro

C – Vermelho claro

D – Roxo claro

E – Amarelo claro

F – Branco claro

 

            Comandos do Painel de controle:

ACCESS.CPL: abre as opções de acesso

APPWIZ.CPL: abre a ferramenta Adicionar/Excluir um programa

AZMAN.MSC: abre o gerenciador de autorizações (Só no Vista)

CERTMGR.MSC: abre os certificados para o usuário atual

CLICONFG: abre a configuração dos clientes SQL

COLLAB.CPL: abre a vizinhança imediata (Só no Vista)

COMEXP.MSC ou DCOMCNFG: abre a ferramenta serviços e componentes (Só no Vista)

COMPMGMT.MSC: abre a ferramenta de gestão do computador

COMPUTERDEFAULTS: abre a ferramenta dos programas padrão (Só no Vista)

CONTROL /NAME MICROSOFT.BACKUPANDRESTORECENTER: abre o centro de backup e de restauração (Só no Vista).

CONTROL ADMINTOOLS: abre as ferramentas de administração

CONTROL COLOR: abre as configurações de aparência

CONTROL FOLDERS: abre as opções de pastas

CONTROL FONTS: abre o gerenciador de caracteres

CONTROL INTERNATIONAL ou INTL.CPL: abre as opções regionais e linguísticas

CONTROL KEYBOARD: abre as propriedades do teclado

CONTROL MOUSE ou MAIN.CPL: abre as propriedades do mouse

CONTROL PRINTERS: abre as impressoras e os faxes disponíveis

CONTROL USERPASSWORDS: abre o editor de contas dos usuários

CONTROL USERPASSWORDS2 ou NETPLWIZ: controla os usuários e seus acessos

CONTROL: abre o Painel de controle

CREDWIZ: abre a ferramenta de backup e de restauração de senhas dos usuários (Só no Vista)

DESK.CPL: abre as configurações de exibição

DEVMGMT.MSC: abre o gerenciador de periféricos.

DRWTSN32: abre o Dr. Watson (Só no XP)

DXDIAG: abre a ferramenta de diagnóstico DirectX

EVENTVWR ou EVENTVWR.MSC: abre o observador de eventos

FSMGMT.MSC: abre as pastas compartilhadas

GPEDIT.MSC: abre o editor de estratégias de grupo (Para as edições profissionais e mais do Windows)

HDWWIZ.CPL: abre o assistente “adicionar hardware”

INFOCARDCPL.CPL: abre o assistente “compatibilidade de programas”

IRPROPS.CPL: abre o gerenciador de infravermelho

ISCSICPL: abre a ferramenta de configuração do iniciador ISCI Microsoft (Só no Vista)

JOY.CPL: abre a ferramenta do controlador de jogos

LPKSETUP: abre o assistente de instalação e desinstalação dos idiomas de exibição (Só no Vista)

LUSRMGR.MSC: abre o editor dos usuários e grupos locais

MDSCHED: abre a ferramenta de diagnósticos da memória Windows (Só no Vista)

MMC: abre um novo console vazio

MMSYS.CPL: abre as configurações de som

MOBSYNC: abre o centro de sincronização

MSCONFIG: abre a ferramenta de configuração do sistema

NAPCLCFG.MSC: abre a ferramenta de configuração do cliente NAP (Só no Vista)

NTMSMGR.MSC: abre o gerenciador de suporte de armazenamento removível

NTMSOPRQ.MSC: abre as solicitações do operador de armazenamento removível

ODBCAD32: abre o administrador de fonte de dados ODBC

OPÇÃOALFEATURES: abre a ferramenta Adicionar/Excluír componentes do Windows (Só no Vista)

PERFMON ou PERFMON.MSC: abre o monitor de confiabilidade e de desempenho Windows.

POWERCFG.CPL: abre o gerenciador de modos de alimentação (Só no Vista)

REGEDITou REGEDT32: abre o editor de registro (Só no Vista)

REKEYWIZ: abre o gerenciador de certificados de criptografia de arquivos (Só no Vista)

RSOP.MSC: abre o jogo de estratégia resultante

SECPOL.MSC: abre as configurações de segurança local

SERVICES.MSC: abre o gerenciador de serviços

SLUI: abre o assistente de ativação do Windows (Só no Vista)

SYSDM.CPL: abre as propriedades do sistema

SYSEDIT: abre o editor de configuração do sistema (Atenção, manipular com cautela)

SYSKEY: abre o utilitário de proteção do banco de dados das contas Windows (Atenção, manipular com extrema cautela !)

SYSPREP: abre a pasta com a ferramenta de preparação do sistema (Só no Vista)

TABLETPC.CPL: abre as configurações para o Tablet pc (Só no Vista)

TASKSCHD.MSC ou CONTROL SCHEDTASKS: abre o planejador de tarefas (Só no Vista)

TELEPHON.CPL: abre a ferramenta de conexão telefônica

TIMEDATE.CPL: abre as configurações da hora e da data

TPM.MSC: abre a ferramenta de gestão do módulo de plataforma segura no computador local (Só no Vista)

UTILMAN: abre as opções de ergonomia (Só no Vista)

VERIFICAR: abre o gerenciador de verificação dos drivers

WMIMGMT.MSC: abre o “Windows Management Infrastructure”

WSCUI.CPL: abre o centro de segurança Windows

WUAUCPL.CPL: abre o serviço de atualização do Windows (Só no XP)

 

                Lembrando que estes são apenas alguns comandos mais utilizados, existindo ainda dezenas de comandos para diversos tipos diferentes de serviços